Maneijo

  • A Fazenda Santa Nice recria seus animais a pasto e é contra qualquer tipo de artificialismo na criação de seus reprodutores, a exemplo do excesso de alimentação. O Touro Santa Nice precisa estar adaptado às condições que encontrará na propriedade dos nossos clientes, portanto, o capim é à base da sua alimentação (em épocas estratégicas do ano é fornecido um proteinado de baixo/médio consumo para compensar as deficiências nutricionais do capim).Por ser uma categoria importante e de alto valor genético, os Touros em Reprodução demandam alguns cuidados básicos por parte dos pecuaristas, principalmente os touros mais jovens; os pecuaristas devem ficar atentos à condição corporal dessa categoria animal, já que o excesso de serviço de cobertura pode levar a um desgaste no primeiro ano de trabalho. A perda de massa muscular faz com que as células produtoras de hormônios (testosterona) e de espermatozóides sofram perda de capacidade glandular, interferindo na vida reprodutiva do animal, com possível diminuição na libido e, consequentemente, na taxa de concepção do rebanho. Caso ocorra a perda de massa muscular, o Touro jovem precisa receber algum tipo de suplementação para que recupere seu escore corporal; outra medida eficaz é alocação desse animal sentido para um lote com menor quantidade de vacas.

    MANEJO PÓS-ESTAÇÃO: Uma boa estratégia para recuperação do escore corporal dos touros é a realização de um bom manejo pós-estação, já que em muitas regiões ainda é uma época favorável às pastagens. Como os pecuaristas formam lotes apenas de touros ao término da estação de monta, é importante a identificação dos animais mais agressivos, que por uma questão de dominância

  • acabam travando brigas dentro do seu lote de manejo – estes animais, se possível, devem ser realocados para outro lote! O tamanho do piquete também interfere no comportamento dos reprodutores, sendo que o ideal é que o pasto/piquete não tenha tamanho inferior a 1,5 hectares por touro; interessante que os cochos também tenham tamanho adequado e que, de preferência, estejam distribuídos separadamente, e não de forma contínua; pouco espaço de cocho pode provocar brigas entre os animais, além de impedir que alguns touros, principalmente os mais novos, se alimentem adequadamente. Alguns técnicos, inclusive, sugerem que os touros jovens fiquem separados dos touros erados.O pecuarista também deve ficar atento à ocorrência de acrobustite (lesão em prepúcio) – para evitá-la, é recomendável que os touros não fiquem em pastos com talos altos (pós linha do jarrete) e duros.MANEJO PRÉ-ESTAÇÃO: A boa preparação do touro para estação de monta é fundamental para o seu bom desempenho – além da questão nutricional já tratada acima, deve-se fazer um bom tratamento antiparasitário/sanitário e certificar-se da qualidade do sêmen, através do exame andrológico; ainda sobre a questão do sêmen, vale ressaltar que já existem no mercado produtos que irão melhorar a espermiogênese (geração dos espermatozóides) dos reprodutores, contribuindo para o sucesso da estação.CONCLUSÃO: O investimento em touros melhoradores e de alto valor genético é fundamental; mas para que esse animal tenha uma longa vida útil e bom desempenho, são necessários alguns cuidados, que não podem ser negligenciados!

OBSERVAÇÕES:

(Carrapaticidas) muitas vezes é necessário fazer pulverização ou banhos com Cipermetrinas ou OrganoFosforados.
(Vacinas) Depende muito de cada região, porém a clostidiose é indispensável.
(Alimentação) A suplementação protéica em época em que as pastagens estão com baixa proteína é fundamental para manutenção da flora.
(Bio-Touro-Fértil) A Biologica desenvolveu o produto com ingrediente de alta qualidade que possibilita a melhora da espermatogênese, melhorando a taxa de concepção do rebanho. Fornecer 10 gramas/Touro/dia, juntamente com sal proteinado.
(Exame andrológico) É fundamental para o inicio da estação, avaliar todo aparelho reprodutor e fazer o exame de brucelose. Conferir se os touros estão em condição corporal adequada, aprumos e cascos, parasitoses.

 

Última atualização: 4 de março de 2011